quarta-feira, 18 de abril de 2012

Não há esperança



Não foram 20, nem 15, muito menos 10.

Talvez menos de 5 minutos de fama que não renderam em nada.

Sequer um aplauso.

Um sorriso.

Agora estou de volta na escuridão.

As lágrimas afogam meus olhos e inundam meu rosto.

Meus dedos calejados me servem de recordação do que não vale a pena ser lembrado.

Minhas pernas fracas não me mantêm mais em pé.

Nesse canto frio e escuro.

De um quarto apertado e vazio.

Cada um teve seu motivo, mas todos levaram a uma mesma consequência,

O meu fracasso.

Não sei por que escrevo.

Pois de nada adiantou o meu sacrifício.

Pois ainda choro todas as noites antes de dormir.

E nada irá mudar, não existe esperança.

Pra quem não tem conserto.

Como eu.

Finnegan.

2 comentários:

Valquíria Paula disse...

Cara... Seus textos demonstram muito sentimento, Dani, incrível!Não deixe nunca de escrever, isso faz bem pra quem lê, mas principalmente pra vc, viu?

Bjusss, lindona!
Vem pra VR logo pra gente tomar um lanche =)

Onslaught disse...

Espero que este texto nao tenha sido escrito por esperiencia propria..
Mas é mais um texto LINDOOO!!! *-*

mais uma vez: parabéns minha gatinhaaa!! ^^