domingo, 2 de outubro de 2011

Observações sobre a vida mundana - Infância


Quais brincadeira marcaram a sua infância?

Se você tiver mais de vinte anos, vai pensar em muitas brincadeiras ao ar livre e em grupo...
Mas, se você tiver menos que isso, com certeza vai tender mais à computadores, video games e afins.

Não é notável essa diferença?

Tenho 19 anos e minha infância foi mesclada. Variando entre brincadeiras de pique-pega com meus primos e algumas horas jogando no computador do meu pai. Talvez essa infância confusa entre brincadeiras antigas e tecnologia não tenha sido muito boa pra mim, mas como vou saber se não conheço como era a infância da geração anterior à minha? A unica coisa que sei é o que me contam, e isso não é muito palpável.
Em contra partida, sobre a infância das atuais gerações, tenho muito o que dissertar e, até mesmo, comparar com a minha. Esta sim testemunhei (e ainda testemunho), com meu olhar observador e um tanto conservador.

Há poucos dias presenciei uma menina de uns 10 anos de idade perguntando à mãe qual seria o show do Rock in Rio daquele dia... Bem, a olho nu isso não quer dizer nada, certo? O porém está no simples fato de que este evento, transmitido por uma emissora de TV ao vivo, não termina antes da meia-noite.
Espera aí!! Meia-noite? Com dez anos eu só ficava acordada até esse horário no Natal e Ano Novo, ainda assim, era obrigada a esperar até tão tarde.

Não parece tão grave, não é?

Já é hora de parar de pegar leve, pois o assunto não é para ser tratado de tal maneira.
Repare quanto tempo uma criança/adolescente passa na frente do computador. Some isso ao tempo que ela passa na frente da televisão. E agora o tempo que ela passa jogando video game.
Achou pouco?
Agora faça o mesmo com as horas de lazer ao ar livre e atividades em grupo por espontânea vontade.
Se você comparar isso com a infância de uma pessoa que tenha mais de 20 anos hoje, verá a grande diferença a qual me refiro.

Não sou contra tecnologia, na verdade, eu amo tecnologia.
Mas verifico que a mesma tem roubado a infância das crianças, aprisionando-as dentro de suas casas.
E enquanto ninguém achar isso muito ruim, vamos continuar tendo mais e mais crianças que pensam viver no maravilhoso mundo de Disney...
Isso dizendo o melhor, porque o lado ruim você e sua hipocrisia não vão querer saber.

Sou a favor de mudanças, a favor da tecnologia.
Mas, sou principalmente, a favor das crianças e das experiências ótimas que elas podem ter se deixarem de lado toda essa parafernália tecnológica de lado por mais tempo.

Minha opinião pessoal é de que tecnologia foi feita para facilitar a nossa vida. Vida essa dos adultos.
E deixem que as crianças continuem a ser crianças enquanto podem.
Pois o nosso tempo não vai voltar, e nem o delas, daqui a uns anos...

Finnegan.

2 comentários:

THE ONSLAUGHT disse...

ótima observação meu amor!! ^^ Sabes q sou um tanto mais velho que vc , e passei pela época em que o computador mais perto que eu tinha conhecimento era o de um amigo que era MUITO rico , e msm assim era o que consideramos hj em dia 'um caco velho'.

Uma coisa q eu observei, quando eu trabalhava em um laboratorio de informatica de uma escola publica foi a segunte cena, que me fez pensar muito na introdução precoce da informática às crianças:

Aluno: Tio, preciso pesquisar isso..

Eu: (entrando no google) aki, digita aqui o q vc quer, e depois olha os sites , e v~e qual é o que mais se encaixa na sua pesquisa..

Aluno (olha, e abre o primeiro site) pronto ! achei!!!

Eu: Agr é só copiar!!

Aluno: Copiar?? nao tem impressora nao??

¬¬

Boa era a época em que eu passava horas a finco na biblioteca municipal e lia textos e mais textos procurando o que queria, pra depois entao ter que copiar tudo à punho...
As crianças de hoje precisam dar mais valor ao que tem.

Valquíria Paula disse...

Tenho um pouco mais - bem pouquinho mesmo - de 20 anos, e meu filho já tem 8. Realmente, a diferença é gritante, mas isso depende muito também dos pais.
Apesar de Kadu gostar de computador, e do Play, então... nem se fala... ele ainda passa bastante tempo brincando na rua da minha casa.
Acontece que as vezes eu acho q ele passa tempo até demais na rua, e neste caso, eu bem que prefiro ele na frente do video game, me sinto mais segura.
Acho que os hábitos e as brincadeiras das crianças mudaram porque o mundo mudou, será que ainda é seguro brincar de pique-pega na rua???