quinta-feira, 5 de maio de 2011

Vida passageira. - Lembranças



Ele gostava do mistério que ela insistia em fazer.
Ela adorava o frio na barriga por não saber oq iria acontecer.
E assim se passavam os dias.
A saudade os consumiam, mas era tão melhor do que se ver todos os dias.
Rotina? Sim, rotina.
Ela existia e os acompanhava, mas nunca atrapalhara.
Todos os sábados.
Alguns poucos domingos.
E uma quinta.
E foi só.
Só o bastante para que o amor os atacassem como presas indefesas.
Ninguém está reclamando, não mesmo!
É até bom essa sensação de ser pego de surpresa por alguma coisa boa.
Mas eu era apenas um observador.
De um casal simpático e intenso.
Dois jovens com uma vida inteira pela frente.
Um futuro brilhante.
Eu já fazia planos, sim, eu fazia planos para a vida deles.
Afinal, a minha já havia acabado há anos e não havia previsão para recomeçar.
Eu senti ciúmes também.
E chorei.
Quando tudo terminou o vazio e a sensação de impotência me consumiram.
Eu perdi o chão.
E ela? O que fará sem ele?
E ele? Como viverá sem ela?
Eu me lembrava dos dias inteiros sentados rindo, gargalhando, se beijando.
Brigando, discutindo e fazendo cara feia.
Lembro do braços cruzados e da lágrima no rosto.
Lembro do orgulho ferido.
A briga na beira da estrada.
A imensa vontade de chorar.
O espaço entre eles.
E por que?
Eu nunca vou entender.
Relacionamentos entre humanos são tão complicados quanto matemática ou física.
Infelizmente as lembranças tristes são as mais intensas.
Mal consigo me lembrar dos sorrisos.
Embora me lembre do prazer e da loucura.
Lembranças de pessoas que já não conheço.
Lembranças de um passado distante.
Coisas boas e ao mesmo tempo ruins.
Lembranças de quem um dia eu fui.
E não me arrependo de ter sido.
Memórias de alguém que ficou pra trás.
E lá permanecerá.
Como uma simples lembrança.
Lembrança de uma vida passageira.
Finnegan.

Um comentário:

Onslaught disse...

Ta..eu preferiria se isso tivesse acabado na linha 22....

(te amo dani!!!)