quinta-feira, 19 de maio de 2011

Sophia, meu mundo.



Me sinto leve.
Não tão leve quanto uma pluma.
Não tão leve quanto uma pena.
Mas me sinto leve.

Ela está aqui.
Eu sei que está.
Não.
Ela não está morta.
Só está do outro lado da cidade.

Com outra pessoa ao seu lado.
Alguém que não a merece.
Não a entende.
Não a completa.
Apenas a usa pra passar o tempo.

E quando esse tempo passar?
Será que ainda estarei aqui?
Esperando por alguém que não consegue me ver?

E finalmente ela vai olhar pra mim.
"Sophia"
Será que ela ainda lembra do meu nome?
Ou do meu rosto?
Com certeza não se lembrará do meu amor...

Mulher sem coração.
Egoísta.
Por que eu me apaixonei por você?
Quem mandou você ser tão bonita, carinhosa, amável...
Se você ao menos não tivesse mudado da água para o vinho
Sem um motivo aparente...

Eu só queria saber o que eu fiz de errado...
Se for por te amar demais,
poderá me culpar pelo resto da vida.

Porque o mundo que você me mostrou
É hoje o meu refúgio do mundo real.
E assim sempre será.

Porque neste mundo imaginário
Eu tenho a chance de viver os momentos que sempre quis viver
Ao seu lado
Sentindo o seu cheiro doce
E sua voz suave.

Por favor, ao menos não me tire deste mundo
No faz de conta em que eu mergulho
Só pra te ver sorrindo.

Finnegan.

Nenhum comentário: