domingo, 8 de maio de 2011

Palavras soltas ao vento.

Ele era sempre assim, autêntico e mandão.
- Eu sempre estou certo.
E realmente estava, eu não podia contestar.

Certo dia, estávamos num bar.
Eu, ele e uma amiga.
Ela: super afim dele.
Ele: super afim de mim.
Eu: bem, eu estava tranquila.
Havia saído pra tomar um drink com dois amigos da faculdade.
Estávamos no balcão rindo e bebendo.
Ela não parava de dar em cima dele e isso me irritava de vez em quando.
Ele sempre fazia questão de bancar o homem implacável.
Eu só queria me divertir.

O dia seguinte chega.
Acordei totalmente torta na minha cama.
Meu cabelos estavam atrapalhados.
E eu sentia um gosto muito forte de anti-ácido na minha boca.
Olhei pro lado.

Lá estava ela.
Minha amiga totalmente desconcertada dormindo ao meu lado.
Não me assustei, aquilo era normal depois de uma noitada.
Ouvi uma voz.

- Bom dia, minha flor. -disse.
Procurei e o vi.
Atirado no sofá só de cueca e fumando um cigarro.
- Bom dia. Você dormiu aqui? - eu disse.
- Você não se lembra de ontem à noite?
- Não, eu deveria?
- Bem, geralmente todas se lembram de minha performance. Mas eu sempre soube que você é diferente das outras. - ele disse levantando-se e caminhando em minha direção.

Não entendi o que ele queria dizer.
Mentira, eu não quis entender o que ele queria me dizer.
Por que ninguém nunca diz o que eu quero ouvir? - pensei.

- Quando sua ressaca passar eu te conto os detalhes mais sórdidos. - ele prometeu me dando um beijo na testa.
- Algo que eu venha a me arrepender? - perguntei.
- Só se você continuar insistindo em bancar a santinha. - ele disse com malícia no olhar.

Olhei para ela.
Não parava de roncar.
Parecia cansada.
- Espero que pelo menos ela se lembre. - ele suspirou.
- Desculpe, prefiro não saber o que aconteceu essa noite. - eu disse tentando afastar minha imaginação que já começara a trabalhar.
- Tem certeza? - ele perguntou desapontado.
- Não, pelo menos por enquanto.
- Eu sei que você vai querer saber. E vai querer fazer tudo de novo. - ele disse convicto.

Me lembrei:
"Ele era sempre assim, autêntico e mandão.
- Eu sempre estou certo.
E realmente estava, eu não podia contestar."

Um flash da noite passada me atingiu e com ele uma dor de cabeça exorbitante.
Pensei:
Uma noite, dois amigos e drinks deliciosos. Eu sabia que não iria dar certo.
Mas enfim, eu só queria me divertir.

Um comentário:

Jeannine Xavier - ( Jeam'x ) disse...

ô...poe diversao nisso...

rs


gostei!