terça-feira, 10 de maio de 2011

Observações sobre a vida mundana. - Mentira

Algumas pessoas simplesmente preferem não saber a verdade.
Sim, é dizendo a verdade que eu começo este texto sobre mentiras.
Intrigante, não?
Ao longo da vida dizemos tantas mentiras quanto piscamos nossos olhos.
Você não acredita?
Que bom, pois eu acabei de lhe contar uma mentira.

É mais fácil do que se imagina.
Todos nós crescemos ouvindo mentiras.
Papai noel, coelhinho da páscoa, fada do dente, velho do saco, entre outros...
São as mentiras mais óbvias que uma criança escuta.

“Se você não se comportar o papai noel não trará o seu presente no natal”
“Você não pode brincar na rua porque o velho saco vai colocar você dentro do saco grande que ele carrega e vai te levar pra bem longe do papai e da mamãe”

Não seria melhor ser sincero com seu filho?
Não estou aqui pra ensinar ninguém a educar seus filhos, pelo contrário.
Eu estou aqui como uma criança frustrada com seus pais e as mentiras que eles contaram durante toda a vida.

Enfim, quando chegamos à idade adulta começamos a mentir.
Mentimos para nos safar das coisas erradas que fizemos.
Para tirar vantagem de alguma situação.
Para não magoar as pessoas à nossa volta.
E, algumas vezes, só pelo prazer de mentir.

Inventamos histórias para cobrir nossas mentiras.
Construímos um universo paralelo.
Até o dia que nós mesmos começamos a acreditar em nossas próprias mentiras.
E nos desapontamos aos perceber que só porque nós acreditamos, ela não se tornou uma verdade.

“Desculpe querida, fiquei preso no trabalho. Meu chefe é um carrasco.”
“Professor, eu não pude fazer o trabalho que o senhor designou semana passada por motivos de doença, minha mãe está internada no hospital e mesmo eu não sendo muito chegado à ela, tive de ficar acompanhando seus dias naquele quarto de hospital”

Será que hoje em dia alguém sabe o significado da palavra sinceridade?
A maioria não sabe, mas existe uma história por trás dessa palavra.
Não vou mentir, não me lembro ao certo dessa história.
Por isso dou a dica: pesquisem!

Quando idosos.
Nesta faixa etária já não sabemos distinguir o certo do errado.
O verdadeiro do falso.
O importante do que já não importa tanto.

É nesta idade em que passamos nossa vida contando histórias de quando erámos jovens.
E, quase sem perceber, contamos as mesmas mentiras daquela época.
Mas como é possível?
Eu não acabei de dizer que quando ficamos velhos não conseguimos diferenciar o que é verdade e o que é mentira?
Pois é exatamente isso.
Já não conseguimos fazer esse julgamento.
E o universo paralelo que criamos quando adultos se funde ao mundo real.

“Quando eu era jovem e estava na faculdade. Odiava fazer os trabalhos que o professor de uma matéria passava. Mas uma vez eu dei a sorte de que minha mãe estava internada e ele me liberou de um dos trabalhos mais chatos de toda a minha vida acadêmica.”
“Filho, quando eu namorava a sua mãe, ela fazia questão de sair pra jantar nas sextas. Só que o meu chefe era um carrasco e me fazia trabalhar até tarde. Eu sempre me esquecia do meu compromisso com sua mãe.”

Assim surgem as histórias mal contadas.
Você deve estar pensando:
“Ah, eu ainda tenho muito o que viver antes de ficar um velho(a) gagá ”
Bem, isso pode até ser uma verdade.
Mas nada impede que seu universo paralelo e o mundo real já não tenham se fundido.

Nada do que eu disse aqui é uma regra.
Porém, eu não disse nenhuma mentira.
Não fiz nenhum estudo aprofundado no assunto.
Isso são apenas minhas observações sobre a vida mundana.

Finnegan.

10 comentários:

Onslaught disse...

PERFECT!!!

isso sim é um texto digno de aplausos
Me faz lembrar da melhor historia que ja vi em um game : Final Fantasy 7 (recomendo)

E me faz lembrar de mim msm...de uma vida que tenho orgulho em dizer que ficou pra tras...pq quando percebi que eu nao sabia mais o que era mentira ou o que era verdade no meu passado, eu resolvi mudar!

Lov you dani!!

Alan disse...

Mas a mentira tem pernas curtas!

Onslaught disse...

Discordo alam, tem coisa que se leva pra vida inteira, e se mistura com seu proprio dia a dia.... =X

Valquíria Paula disse...

isso acontece com todo mundo. acreditar nas próprias mentiras não é uma particularidade de A ou B. acontece comigo, e já vi acontecer com todo mundo. Ninguém é 100% verdade o tempo todo, e a mentira dificilmente é assumida por quem contou. Tipo... se descobrirem, ferrou. Mas se não descobrirem, acaba virando verdade mesmo... normal.

Victor disse...

é verdade a gente mente, mente, mente
até q vira uma verdade
q continua sendo uma mentira ;x

Diego disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Diego disse...

"Papai noel, coelhinho da páscoa, fada do dente, velho do saco, entre outros..."
Cresci em uma ambiente, que natal era só mais um dia. Qualquer coisa que eu perguntei a minha mãe, ela me respondeu sem um pingo de pudor. E sempre me incentivou e relatar meu próprios erros.
E um dia eu acabei percebendo, que melhor do que uma mentira, é evitar tomar atitudes que um dia precisarão ser encobertas.
Ou eu falo a verdade, ou digo que não posso responder (porque não diz respeito aquela pessoa).
E a cada dia mais eu me desprendo das desculpas dizendo: "não fiz, porque não quis".
Devo isso a minha mãe que sempre me parabenizou (apesar de me punir), quando eu fazia alguma coisa errada e relatava todo meu erro.
Espero poder um dia passar isso para meu filho.

Work Sim disse...

Olha, está excelente mesmo!!! E merece os meus parabéns e aplausos como disse o Onslaught ali.Não existe ninguem mesmo, 100% verdadeiro todo o tempo.

Anônimo disse...

Nossa vooç escreve muito bem msm! Meus parabéns, continue sempre assim, vooç merece!!!!!!!!!!!!
Giovana Koenig

Valquíria Paula disse...

Eu tbm incentivo meu filho a não mentir
(sempre digo que as mães têm um super-poder de saber tudo, inclusive quando algo é mentira)
Ou seja, acabo mentindo pra ensinar a não mentir, engraçado. Mas como ele ainda é pequeno, acho melhor essa didática do que explicar os males da mentira (ele olharia pra mim com cara de paisagem)
E esse método tbm funciona, pq ele sempre conta a verdade quando faz alguma coisa errada, e mesmo que o "castigue", tbm elogio e fico super orgulhosa de ele ter dito a verdade.
Assim, acredito que se ele já não crescer com esse hábito, não vai precisar se livrar dele mais tarde, o q é bem difícil, ainda mais sendo homem (que mentem por natureza, hehe)