sábado, 5 de março de 2011

Palavras soltas ao vento.



Corria sem razão, olhava para trás a todo instante e pensava em como foi se meter naquela confusão...
- Você quem pediu isso! - Ela argumentou.
- Eu não pedi por nada, só fui eu mesmo, era o que você me dizia para fazer! - Ele se defendeu.
- Eu pedia para você ficar em silêncio e isso você não fez.
- Não podia deixa-la para morrer, ou era isso o que você realmente queria?
- Eu não pedi que fosse atrás de mim, agora aguente as consequências! - Ela respondeu quase gritando.
Agora ele está desesperado tentando arranjar uma forma de se livrar daquilo tudo...Mas a única coisa em que ele consegue pensar é que nada teria sido assim se não tivesse cedido ao amor de uma pessoa tão imatura... Ele nunca quis ser um humano de verdade, era perfeito sendo insensível e mal-criado.

Nenhum comentário: